Por que você deve reduzir o uso do Excel na gestão de fábrica

Com tantas opções de ferramentas de gestão na indústria, é preciso saber combiná-las entre si para criar um sistema eficaz. Nesse cenário, o uso do Excel não representa mais uma alternativa tão vantajosa.

Durante muito tempo empresas de todos os setores, inclusive o industrial, concentraram seus processos em planilhas do Excel, fazendo o controle de números por meio de suas fórmulas e cálculos.

No entanto, ao longo do tempo, com novas tecnologias surgindo, essa prática passou a ser substituída por outras mais simples e ágeis, como a implantação de softwares ERP, Enterprise Resource Planning, que significa Sistema Integrado de Gestão Empresarial.

Veja a seguir os motivos que tornaram o Excel defasado em relação ao controle de instituições e por que reduzir o seu uso!

Falta de confiança nos dados

Há diferentes fatores que colocam em dúvida a confiança de dados retirados das planilhas de Excel.

Os principais deles são atualizações são feitas manualmente, assim como as fórmulas e possíveis problemas nos arquivos.

Um arquivo armazenado numa máquina pode ser corrompido e perdido devido a qualquer tipo de falha no sistema. Além disso, as fórmulas utilizadas nas planilhas podem sim respeitar uma lógica. No entanto, não há garantias de que elas estejam adequadas para o tipo de objetivo de cada operação.

Fragmentação de informações

Ter vários arquivos com nomes e numerações em pastas igualmente nomeadas e numeradas é a única maneira de organizar processos e tarefas no Excel.

Porém, isso não significa que essa maneira de organizar não carregue falhas e limitações. Empresas gerenciadas por planilhas somente não têm seus dados integrados. Para tal, é preciso criar novos arquivos e novas planilhas cujos objetivos são cruzar e integrar determinados dados já existentes em outros arquivos.

Leia também  05 ideias para melhorar a gestão da sua indústria

Esse tipo de trabalho é impensável nos dias de hoje, diante de tantas demandas imediatas que a internet e os dispositivos possibilitam e exigem.

Complexidade nos processos

Cada vez que uma mudança ocorre, é preciso repetir todo um ritual de etapas e processos para atualizar planilhas.

Conforme as empresas crescem, o número de operações também cresce, bem como o volume de informações que a todo momento precisam ser registradas e incluídas no atual repertório.

Nesse sentido, quanto mais complexo for o sistema de uma fábrica, pior será para manter esse fluxo de informações atualizado com o cenário dos negócios.

Como substituir o Excel na gestão de fábrica?

Hoje, graças a esse avanço tecnológico que já citamos, existem recursos como a computação em nuvem que transformaram a maneira de trabalhar nas fábricas, até mesmo na gestão.

Com softwares na nuvem, as empresas podem migrar seus dados de modo que todas as informações fiquem centralizadas e sejam acessadas por quem quer que esteja trabalhando nelas.

Os ERPs, que falamos lá no início do texto, são esses sistemas que substituem ferramentas pesadas e complexas como as planilhas de Excel.

Você pode encontrar um ERP completo e personalizado para a indústria, contendo todos os meios para controlar dados e informações referentes a esse universo de gestão de fábricas.
Conheça o sistema da Proxsis e entre em contato para solicitar uma demonstração dessa plataforma!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *