Conheça a melhor maneira de fazer o controle de qualidade na indústria

É preciso ter bons mecanismos de controle de qualidade na indústria, dada a complexidade envolvida nesse contexto.

Além de um grande número de pessoas, muitas vezes esse tipo de ambiente requer também uma série de sistemas e processos que devem manter um mesmo padrão de funcionamento.

Com isso, o desafio duplo de monitorar o desempenho de pessoas e máquinas traz à indústria uma tarefa pela frente: buscar os melhores instrumentos de monitoramento.

Entenda a seguir como manter uma indústria produtiva e garantir a satisfação de clientes com técnicas e instrumentos de controle de qualidade!

O que é o controle de qualidade na indústria e por que é importante?

Vamos começar respondendo à segunda pergunta. A entrega de produtos e serviços de qualidade deixou de ser um diferencial competitivo e agora é questão de sobrevivência.

O consumidor está cada vez mais consciente de seus direitos, além de ter maior poder de escolha entre marcas e fornecedores. Outro fator de peso também é a possibilidade de comunicação se expandindo com a internet, com diferentes meios para expressar seu descontentamento com um serviço ou produto.

Logo, podemos dizer que o papel do controle de qualidade está diretamente relacionado à reputação de uma marca, seja no fornecimento de mercadorias para outros negócios, seja na venda direta.

Como prática, o controle de qualidade na indústria é, antes de tudo, enxergar a produção como um conjunto de medidas e esforços que, uma vez eficientes, garantem um resultado final satisfatório.

Qual a melhor maneira de fazer o controle de qualidade na indústria?

Antes de tudo, é preciso saber que a abordagem para a qualidade mudou. Hoje trabalha-se com o conceito de qualidade total, que é diferente de focar em redução de falhas e diferente também de trabalhar apenas com estatística.

Leia também  PCP: Saiba a importância de ter um plano de controle de produção na indústria

1. Prevenção

Essa nova maneira de olhar para a qualidade envolve medidas preventivas, antecipando-se às falhas e otimizando cada etapa envolvida com o resultado final. Isso inclui também e, especialmente, as pessoas que participam dessa cadeia produtiva.

2. Divisão de responsabilidades

Tendo em vista que um resultado depende sempre de um conjunto de esforços e desempenhos, a divisão coletiva de responsabilidades é parte dessa prática de controle de qualidade.

Nessa abordagem, o controle de estoque é tão importante quanto o processo de vendas, cada um com suas particularidades.

3. Satisfação de clientes

Engana-se quem pensa que há uma separação entre o que é interno e externo nos negócios, ambos precisam estar alinhados para atingirem sucesso. Por isso, a satisfação de clientes é um dos principais meios de controle de qualidade.

Utilizar instrumentos para mensurar essa satisfação, como canais de comunicação, pesquisas e questionários, é a forma certa de saber os resultados que se está atingindo. O ideal é que se discrimine o tipo de operação nessa análise, como:

  • atendimento;
  • satisfação com o produto/serviço;
  • pontualidade etc.

4. Melhora crescente

Outro fator relacionado a esse controle é trabalhar com a certeza de que a exigência do mercado é crescente e, por isso, não basta fazer mais do mesmo e sim trabalhar com metas e estratégias desafiadoras a curto, médio e longo prazo.

Como se pode ver, o controle de qualidade na indústria requer um conhecimento profundo de todas as operações, tanto aquelas envolvidas com a produção quanto as comerciais. Alinhar essas duas dimensões e criar um sistema de controle em cadeia, bem dividido e completo é a receita para o sucesso.

Quer receber outras dicas para ter bons resultados no mercado industrial? Assine nossa newsletter1 e leia outros conteúdos personalizados como esse!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *